quarta-feira, 17 de maio de 2017

Segundos que fazem diferença

clique aqui …aqueles segundos em silêncio diziam muito mais do que eu gostaria que dissessem. E o pior: Eu aprendi que as palavras que cometemos podem ser guiadas para um momento melhor ou pior porque, por mais que contem, por machucar ou por fazer bem, elas estão cometidas, existentes e impressas nas memórias, diferente das que são ditas pelo silêncio.. essas… bom, essas são donas de si, e nos guiam pra tudo o que temos medos, desejos, traumas ou saudades. As palavras ditas pelo silêncio, não se calam com nada, elas ecoam, elas esbarram, empurram e mudam qualquer coisa fora do lugar.. e eu tenho medo de tanta verdade junta. Tem coisas que devem ser ditas da forma correta, mas quando o silêncio fala, não tem jeito certo. Não há discrição, nem macies, nenhum tipo de preocupação com o bem estar. E assim como é ruim, também é bom. Afinal, o silêncio esclarece, se declara, da chance e demonstra toda a sinceridade possível. Não é certo, nem errado. E é por isso que tenho medo. Não gosto de não poder controlar as coisas que se passam dentro de mim, e nesses poucos segundos, sinto que as pessoas que mais amo podem se ferir, e o pior, por minha culpa. Acho que é por isso que tenho tentado não olhar pro relógio, e nem dado tempo pro silêncio se instalar. De alguma forma eu vou tentando mudar as coisas antes que virem silêncio, talvez essa seja a resposta pra esse dilema. Eu acredito que tudo na vida tem uma resposta, um jeito de dar certo. E se eu acabar descobrindo que isso não, pelo menos sei que alguns silêncios são melhores que outros, e se não vou poder evitá-los, então tentarei criar motivos pra que uns aconteçam mais que outros… talvez meus segundos sejam menos vagarosos e pesarosos com isso… ou talvez não.
 

Um novo DIA